A literatura de cortesania como lugar de memória: os casos de Castiglione e Rodrigues Lobo

Carolina Terramoto Rufino

Resumo


A despeito de ter sido tema recorrente na literatura medieval, sobretudo na poesia trovadoresca e nos romances de cavalaria, a problemática do comportamento social tornou-se um tópico central na literatura de um período marcado por mutações significativas na estratificação social como foi a época Moderna. Tratando-se de um elemento fundamental no estudo das sociedades desta época do ponto de vista comportamental, a literatura de cortesania é também guardiã de uma memória que merece ser evidenciada e estudada. Neste estudo pretende-se analisar o carácter memorial deste género literário nos séculos XVI e XVII, tendo como objecto de estudo a aproximação entre duas obras indiscutivelmente diversas: Il Libro del Cortegiano (1528), de Baldesar Castiglione, e Corte na Aldeia (1619), de Francisco Rodrigues Lobo. Considerando a complexidade inerente aos dois diálogos, trata-se fundamentalmente de um estudo de caso, através do qual se almeja realizar uma primeira abordagem a estas narrativas como lugares de memória.


Palavras-chave: Literatura de Cortesania; Lugar de Memória; História Moderna.


Texto completo:

PDF

Referências


BIBLIOGRAFIA

BURCKHARDT, Jacob. A Civilização do Renascimento Italiano, Lisboa: Editorial Presença, 1983.

BURKE, Peter. “O Cortesão”. In: GARIN, Eugenio. O Homem Renascentista. Lisboa: Editorial Presença, 1995, p. 101-119.

CARDIM, Pedro. A corte régia e o alargamento da esfera privada. In: MATTOSO, José. (Dir.). História da Vida Privada em Portugal. Vol. II. [s.l.]: Temas e Debates/Círculo de Leitores, 2011, p. 160-201.

CARVALHO, José Adriano de. A Leitura de Il Galateo de Giovanni della Casa na Península Ibérica: Damaso Frias, Luca Gracián Dantisco e Rodrigues Lobo. Revista Ocidente. Lisboa, vol. 19, p. 137-171, 1970.

_________. A retórica da cortesia: Corte na Aldeia (1619) de Francisco Rodrigues Lobo, fonte da Epítome de la eloquencia española (1692) de Francisco José Artiga. Península – Revista de Estudos Ibéricos. Porto, n.º 0, p. 423-441, 2003.

_________. Introdução. In: LOBO, Francisco Rodrigues. Corte na Aldeia. Lisboa: Editorial Presença, 1992, p. 7-42.

_________. Francisco Rodrigues Lobo e Tomazo Garzoni. Arquivo do Centro Cultural Português, [s.l.], n.º 10, p. 505-522, 1976.

CURTO, Diogo Ramada. Língua e memória. In: MATTOSO, José. (Dir.). História de Portugal. Vol. III. [s.l.]: Círculo de Leitores, 2014, p. 397-415.

DELUMEAU, Jean. A Civilização do Renascimento. Vol. I. Lisboa: Editorial Estampa, 1984.

ELIAS, Norbert. A Sociedade de Corte. Lisboa: Editorial Estampa, 1987.

________. O Processo Civilizacional. Lisboa: Dom Quixote, 1989-1990.

FERREIRA, Carlos Alberto. Francisco Rodrigues Lobo – fontes inéditas para o estudo da sua vida e obra. Biblos. Coimbra: Faculdade de Letras, p. 229-317, 1943.

HANNING, Robert W. Castiglione’s Verbal Portrait: Structures and Strategies. In: HANNING, Robert; ROSAND, David. Castiglione. The Ideal and the Real in Renaissance Culture. New Haven and London: Yale University Press, 1983, p. 131-141.

JORGE, Ricardo. Francisco Rodrigues Lobo. Estudo biográfico e crítico. Edição fac-similada. Lisboa: Fenda Edições, 1999.

KLEINHENZ, Christopher. Questione della lingua. In: BONDANELLA, Julia Conaway; BONDANELLA, Peter. Dictionary of Italian Literature. Connecticut: Greenwood Press, 1996, p. 480-484.

LIPKING, Lawrence. The Dialectic of Il Cortegiano. PMLA, [s.l.], vol. 81, n.º 5, p. 355-362, 1966.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo Monteiro. Elites e Poder. Entre o Antigo Regime e o Liberalismo. Lisboa: ICS, 2003.

NAVA, Luís Miguel. A vida, a obra e as ideias. In: NAVA, Luís Miguel. Poesia de Rodrigues Lobo. Lisboa: Editorial Comunicação, 1985, pp. 11-64.

NORA, Pierre. Entre a Memória e a História. A Problemática dos Lugares. In: ALVES, Fernanda Mota; SOARES, Luísa Afonso; RODRIGUES, Cristiana Vasconcelos (org). Estudos de Memória. Teoria e Análise Cultural. Vila Nova de Famalicão: Húmus, 2016, p. 51-73.

POUSÃO-SMITH, Selma. The Judaism of Francisco Rodrigues Lobo. The Modern Language Review, London, vol. 78, n.º 2, p. 328-339, 1983.

RICO, Francisco. Nebrija frente a los bárbaros. El canon de gramáticos nefastos en las polémicas del humanismo. Salamanca: Universidad de Salamanca, 1978.

SACCONE, Eduardo. The Portrait of the Courtier in Castiglione. Italica, [s.l.], vol. 64, n.º 1, p. 1-18, 1987.

SCHNERR, Walter J. Two Courtiers: Castiglione and Rodrigues Lobo. Comparative Literature, Oregon, vol. 13, n.º 2, p. 138-153, 1961.

FONTES

CASTIGLIONE, Baldesar. O Livro do Cortesão. Porto: Campo das Letras, 2008.

LOBO, Francisco Rodrigues Lobo. Corte na Aldeia. Lisboa: Editorial Presença; 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 Qualis B-4

    

Resultado de imagem para latinrev