CHAMADA PARA DOSSIÊ:

USOS E DESUSOS DAS LINGUAGENS ARTÍSTICAS

As linguagens artísticas estão presentes em diversos setores da sociedade, suscitando problematizações que envolvem a reflexão de seus usos enquanto ferramentas de poder, de discurso, da fundamentação dos gêneros sociais, das formas pedagógicas, pelo alcance das novas tecnologias (como as novas linguagens nas redes sociais e seus diversos debates), sua banalização e desusos - pensando desde o fato de que vivemos uma era repleta de informações multiplicadas por imagens de mídia até a falta de fundamentação metodológica das linguagens artísticas como materiais didáticos ou seus desusos em regimes totalitários. A atual proposta de dossiê compreende que as linguagens artísticas são instrumentos de expressão sociopolítica e cultural de sujeitos em seu tempo histórico, mas também, a partir dessas produções - tais como teatro, música, literatura, cinema, artes visuais e outras fontes imagéticas -, se tornam e se transformam em ferramentas e documentações para a investigação de historiadores e estudiosos do tema, e por isso, suscitam novos usos. Nesse sentido, pela sua versatilidade, as linguagens artísticas são assim pensadas nesse dossiê como um convite para possíveis contribuições que dialoguem com a temática.

Organizadoras:

Profa. Dra. Dolores Puga (UFMS)

Profa. Dra. Talitta Tatiane Martins Freitas (UFR)

Submissões até dia 10 de outubro de 2022 pelo site Submissões - Trilhas da História

  • Chamada para publicação em Dossiê

    2022-06-14

    USOS E DESUSOS DAS LINGUAGENS ARTÍSTICAS

    As linguagens artísticas estão presentes em diversos setores da sociedade, suscitando problematizações que envolvem a reflexão de seus usos enquanto ferramentas de poder, de discurso, da fundamentação dos gêneros sociais, das formas pedagógicas, pelo alcance das novas tecnologias (como as novas linguagens nas redes sociais e seus diversos debates), sua banalização e desusos - pensando desde o fato de que vivemos uma era repleta de informações multiplicadas por imagens de mídia até a falta de fundamentação metodológica das linguagens artísticas como materiais didáticos ou seus desusos em regimes totalitários. A atual proposta de dossiê compreende que as linguagens artísticas são instrumentos de expressão sociopolítica e cultural de sujeitos em seu tempo histórico, mas também, a partir dessas produções - tais como teatro, música, literatura, cinema, artes visuais e outras fontes imagéticas -, se tornam e se transformam em ferramentas e documentações para a investigação de historiadores e estudiosos do tema, e por isso, suscitam novos usos. Nesse sentido, pela sua versatilidade, as linguagens artísticas são assim pensadas nesse dossiê como um convite para possíveis contribuições que dialoguem com a temática.

    Organizadoras:

    Profa. Dra. Dolores Puga (UFMS)

    Profa. Dra. Talitta Tatiane Martins Freitas (UFR)

    Submissões até dia 10 de outubro de 2022 pelo site Submissões - Trilhas da História

    Saiba mais sobre Chamada para publicação em Dossiê
  • BUSCAMOS AVALIADORES

    2022-03-22

    A Revista Trilhas da História, periódico vinculado ao curso de História da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, campus de Três Lagoas, convida pesquisadores(as)/professores(as) a cadastrarem-se como avaliadores(as) no sistema da Revista. São bem vindos cadastros de mestres(as) e doutores(as) da área da História e das demais ciências humanas e sociais, uma vez que a Trilhas mantém-se atenta à necessidade de diálogo rico e constante com outras áreas.

    A Revista publica artigos, ensaios de graduação, fontes, resenhas e traduções, sendo a atribuição de pareceres submetida à articulação por especialidade e/ou afinidade indicada no cadastro.

    Para registrar-se como avaliador(a), basta acessar a área de registro e informar: nome, sobrenome, afiliação, áreas de interesse para avaliação e titulação. 

    Saiba mais sobre BUSCAMOS AVALIADORES
  • CHAMADA PARA SUBMISSÕES DE ARTIGOS PARA O DOSSIÊ 2022/1 - DITADURAS: REVISITANDO O CASO BRASILEIRO

    2021-11-18


    O dossiê “Ditaduras: revisitando o caso brasileiro” possui como finalidade compreender leituras atuais da Ditadura Civil Militar que possam reportar para debates em torno da experiência do tempo. Nesse caso, voltamos atenção para abordagens quanto a: ética, estética, memória e ensino que possam ser discutidos por uma base historiográfica que se envolva na ambiência da justiça, verdade, disputas pela memória, militância, aprendizado histórico, desaparecimento, gênero, mídias, redes sociais e questões étnico-raciais. Essa abrangência possui por ambição lidar com novas abordagens da relação história/memória que consigam compreender essa temática sob continuidades e rupturas. Considerando o cenário brasileiro atual, a relação entre a esfera pública política e a sociedade civil parecem viver um momento ímpar, sob especificação de conteúdos que carecem de processos compreensivos sob diálogos hermenêuticos. Por esse motivo, este dossiê faz o convite para que possam contribuir com suas pesquisas considerando as especificações acima.


    Organizadores:
    Aruanã Antonio dos Passos (UTFPR)

    Eduardo Gusmão de Quadros (PUC-GO; UEG)

    Rodrigo Tavares Godoi (UNIR).

    Submissões até 15 de maio de 2022 pelo site https://trilhasdahistoria.ufms.br

    A Revista Trilhas da História aceita artigos em português ou espanhol

    Saiba mais sobre CHAMADA PARA SUBMISSÕES DE ARTIGOS PARA O DOSSIÊ 2022/1 - DITADURAS: REVISITANDO O CASO BRASILEIRO
  • CHAMADA PARA DOSSIÊ: HISTÓRIA SOCIAL DO PARAGUAI

    2021-02-11

     CHAMADA PARA DOSSIÊ: HISTÓRIA SOCIAL DO PARAGUAIRevista Trilhas da História, Número 21.

    Há cem anos, Moisés Bertoni criticava a ausência de uma história popular na historiografia paraguaia e, por conseguinte, de ensino nas escolas. O trabalho de grande parte dos historiadores paraguaios pouco fez para escapar à lógica de uma história das elites. A academia é dominada por essa interpretação.A história social, como a entendemos, propõe uma visão diferente. Nas palavras de George Rudé, “uma história vista de baixo”. Essa história tenta reconstruir a participação de atores que foram sistematicamente entendidos como sujeitos passivos e sem consciência, quando não apagados diretamente.Respondendo a esta definição, o Centro de Investigaciones de Historia Social del Paraguay (CIHSP) convida pesquisadores/as da Região a enviarem contribuição ao dossiê "História Social do Paraguai", abrangendo os períodos colonial e independente. Os temas podem ser: escravidão, miscigenação, povos indígenas, trabalho, mulher ou gênero, fronteiras, história local, movimentos sociais, revoluções e rebeliões.O objetivo do CIHSP, sediado em Assunção, é produzir e divulgar a história social do Paraguai, distanciando-se dos temas recorrentes na historiografia paraguaia, como os grandes heróis (história biográfica) e as guerras (história da guerra).Organizadores deste dossiê: Dr. Jorge García Riart, presidente do CIHSP; Dr. Carlos Peris, secretário do CIHSP; Lic. Vicente Arrúa, membro do fundador CIHSP e Dr. Vitor Wagner Neto de Oliveira, membro do CIHSP e docente da UFMS.

    Submissões até 15 de outubro de 2021 (pelo site https://trilhasdahistoria.ufms.br )

    A partir do número 21 a Revista Trilhas da História aceitará artigos em português ou espanhol.

    Previsão de publicação: dezembro de 2021

    E-mail CIHSP: cihsocpy@gmail.com

     

    Saiba mais sobre CHAMADA PARA DOSSIÊ: HISTÓRIA SOCIAL DO PARAGUAI
  • ALTERAÇÕES NAS NORMAS DA REVISTA

    2018-08-02
    A equipe editorial da Revista Trilhas, visando aperfeiçoar o processo de submissão, avaliação e edição, fez alterações nas normas as quais devem ser obedecidas pelos/as autores/as que enviarem textos a partir do dia 3 de agosto de 2018 (os textos submetidos antes desta data serão avaliados pelos critérios anteriores).
    Entre as mudanças implementadas está a possibilidade de os/as autores/as acessarem a ficha de avaliação, antes só disponível aos pareceristas. Com isso, busca-se maior transparência quanto aos critérios e facilita aos/as autores/as fazerem uma autoavaliação do seu texto antes da submissão. Os critérios de avaliação também sofreram alterações, sendo a principal a diferenciação para cada modalidade de texto (artigo, ensaio de graduação, apresentação de fonte, resenha e tradução).
    Em “condições para submissão” os/as autores/as deverão conferir se o texto a ser submetido obedece às normas de edição da Revista, declarando eletronicamente que estão cientes dessa observância. Esta medida, já constante na versão anterior, mas que agora se amplia, visa diminuir a quantidade de textos recusados por não obedecer às normas (que são adaptadas da ABNT).
    Na apresentação da equipe editorial também fizemos mudanças, com a divisão entre “editor responsável” e “editores assistentes”. Essa medida tem por objetivo valorizar o trabalho coletivo que conta com a colaboração de graduandos em todo o processo de editoração, sem os quais a Revista não existiria.
    Visite o sítio da Trilhas da História.
    Os editores. Saiba mais sobre ALTERAÇÕES NAS NORMAS DA REVISTA