Festa de Nossa Senhora Imaculada Conceição, padroeira de Dourados (1920-1960): conservadorismo e mudança de práticas culturais

  • Tiago Alinor Hoissa Benfica UFGD

Resumo

O texto apresenta o resultado de uma pesquisa realizada sobre a festa de Nossa Senhora Imaculada Conceição, padroeira de Dourados, no atual estado de Mato Grosso do Sul. O trabalho analisou certas práticas religiosas da população douradense, a importância que teve a festa para o clero nas tentativas de normatizar as manifestações religiosas e o fortalecimento da Igreja. O texto apresenta uma síntese das práticas religiosas católicas antes da fixação do primeiro pároco em Dourados, no qual é possível observar a espontaneidade religiosa imperando nas práticas populares em uma região de fronteira entre o Brasil e o Paraguai, decorrendo contatos, intercâmbios e estranhamentos culturais. Em seguida, contempla-se a vinda da Missão Franciscana para Mato Grosso, que teve como função recuperar espaços que a Igreja Católica havia negligenciado. Para esse objetivo, as festas religiosas foram utilizadas para transmitir a ortodoxia da Igreja, em um momento favorável, quando a população de uma sociedade rural encontrava-se concentrada. Para o estudo, foram utilizadas fontes bibliográficas, publicações periódicas, entrevistas orais e escritas. O estudo também proporciona uma leitura sobre a realidade social abordada. Constatou-se que a Igreja romanizante alcançou, nesta cidade, êxitos em muitos dos seus objetivos de mudança das práticas religiosas.Palavras-chave: Festa; religiosidades; poderes.
Publicado
2014-12-11
Edição
Seção
Dossiê